O Carboidrato é vilão?

13138980_1010454282369038_3119266522791991373_n

 

Tenho recebido cada vez mais pessoas no consultório apavoradas com o “carboidrato”. O colocando no papel de grande vilão da alimentação moderna.

Será mesmo?

O grande problema não é o carboidrato. Nós que comemos tudo além do limite, nós que exageramos e comemos de tudo e muito.
Comemos muito carboidrato, muita proteína e muita gordura.

Esse é o mal da alimentação moderna: O exagero.

O exagero está presente em tudo: no trabalho, nos relacionamentos, no consumismo, na alimentação.
Usamos os alimentos como forma de compensação ao nosso sofrimento, solidão e ansiedade.
Quem nunca depois de um dia difícil chegou em casa falando: Eu mereço, tive um difícil e vou comer o que eu quiser.
Eu mesma já fiz isso!

Na ânsia de resolvermos nossos problemas buscamos sempre um salvador ou vilão. Encarar o problema de frente é difícil. Encarar que o problema está com você é mais difícil ainda, já escolher um alimento como vilão é bem mais fácil.
Cortar o carboidrato (massas, pães, arroz, batatas, frutas e etc) é bem mais fácil do que rever sua condição de trabalho, falar poucas e boas para o chefe, pedir o divórcio…
Será que ao cortar o terrível pão no café da manhã, meus problemas estão resolvidos?

Precisamos rever conceitos, ideias e entender que somos seres altamente complexos. Nosso corpo físico, mente, desejos, medos e preferências alimentares, está tudo interligado.

O carboidrato é o vilão da vez mas ele não engorda, não faz mal se consumido em equilíbrio na alimentação, de forma integral e mais natural possível.

Meus pacientes se assustam quando voltam no retorno e apresentam emagrecimento mesmo comendo alimentos fontes de carboidratos. Outros cortam o carboidrato e aumentam a proteína para ganhar massa muscular mas o resultado só começa a aparecer quando voltamos a normalizar a ingestão de carboidrato e diminuímos a proteína. Milagre? Claro que não. Isso é equilibro!

Tudo na vida é equilíbrio.

Se você tem dúvida sobre como se alimentar de forma correta, procure um profissional. Não caia nas indicações e orientações de blogueiros e personalidades das redes sociais. Vejo muita informação errada e coisas absurdas, fique atento (a)!

Deixe uma resposta